João Gilberto Noll

Nasceu em Porto Alegre, em 1946. Licenciado em Letras, trabalhou no Rio de Janeiro e em São Paulo como revisor. A sua estreia literária foi com o livro de contos O Cego e a Dançarina (1980), com o qual venceu o prémio Jabuti na categoria de autor revelação, o primeiro dos cinco prémios Jabuti que recebeu durante a sua carreira, pelos romances Harmada (1993) e A Céu Aberto (1996), pelo livro de crónicas Mínimos Múltiplos Comuns (2003), além de Lorde.

Assinou uma vasta e premiadíssima obra ficcional, com uma incursão pelo teatro, tornou-se presença habitual nos prémios brasileiros, e o romance Harmada foi mesmo considerado um dos cem grandes romances brasileiros de sempre. A sua obra foi adaptada ao cinema em três ocasiões: Nunca Fomos tão Felizes, de Murillo Salles, em 1984, adaptação do conto «Alguma Coisa Urgentemente»; Harmada, de Maurice Capovilla, em 2003; e Hotel Atlântico, realizado por Suzana Amaral em 2009.

Livros do autor

Lorde

João Gilberto Noll

«Uma bandeira do reino unido, que lembrava ter notado do quarto, agora se mostrava apenas certa mancha indistinta, flutuante. Fui para a outra janela ao lado: o mesmo. Perguntei-me se o mundo daqui agora era esse, embaçado.»